estudo de caso2

Mariana Kruk / Orient. Rogério Taveira e Diogo Terroso

DISSERTAÇÃO [PT]

RESUMO
Com o aparecimento e a crescente oferta de aplicações móveis dos museus, torna-se pertinente estudar a importância de todos os aspetos do design das mesmas a fim de proporcionar uma melhor experiência museológica ao utilizador/visitante. Um destes aspetos é o User Interface (UI), que pode condicionar a qualidade da experiência da aplicação, como também, da experiência museológica, servindo, assim, a função de intermediário. Visto que o design de interfaces deve conjugar a usabilidade com a aparência (Schlatter e Levinson, 2013), o design terá sempre de apelar ao utilizador, representando também uma potencial fonte de distração. Por isso a preocupação desta dissertação consiste em perceber como podemos distribuir a atenção do utilizador, de forma equilibrada, entre a aplicação e a exposição, através do design de User Interface. São abordadas questões como: o que representa uma distração numa visita ao museu e o que compreende o processo de atenção, para uma boa compreensão da problemática – partilhar a atenção entre a experiência física e a aplicação. Deste modo, foi possível encontrar algumas boas e más práticas na projeção de um bom mobile UI, que satisfaz o critério visual e não exige demasiada atenção do visitante, servindo de complemento à visita.
Palavras-Chave: User Interface; aplicações móveis; museus; experiência museológica; design visual.

ABSTRACT
With the emergence and growing supply of mobile apps for museums it becomes relevant to study the importance of all the design aspects of those apps in order to provide users/visitors with a better museum experience. One of these aspects is User Interface (UI) which may condition the quality of the application experience as well as the museum experience, serving the function of intermediary. Since interface design must combine usability with appearance (Schlatter e Levinson, 2013) the design must always appeal to the user, representing also a potential source of distraction. Hence the concern of this dissertation is to understand how we can distribute the user’s attention in a balanced way, between the application and the exhibition via the User Interface design. For better understanding of the issue – sharing the attention between the physical experience and the application – questions are addressed as: what represents a distraction during a visit to a museum and what comprises the attention process. Thus, it was possible to find some good and bad practice to design a good mobile UI which suits the visual criteria and does not require too much visitor’s attention, serving as a complement to the visit.
Keywords: User Interface; mobile apps; museums; museum experience; visual design.